Tipos de Alterações na Sensibilidade ao Contraste

Tipicamente a perda da função visual é aproximadamente igual nos níveis de contraste alto e baixo. O declive da curva move-se para a esquerda sem mudanças na inclinação (Tipo I). Quando existe uma lesão pequena e circunscrita no centro da mácula, a acuidade visual pode diminuir várias linhas, no entanto, na visão com baixo contraste, a diminuição é menor ou inexistente (Tipo II). Uma mudança de Tipo III, na transferência da informação visual, é caracterizada por uma diminuição moderada, a não existente, na acuidade visual com contraste alto e uma perda maior na função visual com baixo contraste. Isto é muitas vezes causado por retinopatia diabética, cataratas, glaucoma ou nevrite óptica, para referir algumas das causas mais comuns.

Tipos de alterações na sensibilidade ao contraste

Clinicamente é bem conhecido que podem existir três pessoas, com diferentes tipos de perdas da sensibilidade ao contraste, mesmo quando têm campos visuais e acuidades visuais semelhantes. Elas podem ter funções visuais muito diferentes. As três pessoas, cujas curvas de sensibilidade ao contraste estão na figura, têm uma acuidade visual de 20/63 (6/18, 0.3). A pessoa A tem uma função visual alta, a baixos contrastes, e comporta-se como uma pessoa com visão normal. A pessoa B tem uma função visual de baixo contraste algo reduzida e o comportamento típico de um indivíduo com baixa visão (aproximar os textos, mover-se ligeiramente mais devagar em escadas, etc.). A pessoa C perdeu a função visual com baixo contraste e tem uma deficiência da visão severa. Destas três pessoas com a mesma acuidade visual, uma tem visão normal, uma tem baixa visão e uma deficiência da visão severa.

Curvas de sensibilidade ao contraste de três pessoas com acuidade visual 20/63 (6/18, 0.3).

PreviousIndexNext

[ Testes de Visão I Instruções ]