Procedimento Usando Testes de Baixo Contraste com Um Tamanho de Símbolo

Neste tipo de teste o tamanho 10M é conveniente porque à distância, mais frequentemente testada, de 1metro, corresponde à acuidade visual de 0,1 (20/200, 6/60), a 2 metros a 0,2 (20/100, 6/30), a 4 metros 0,4 (20/50, 6/15) e a 0.3 metros 0.03 (20/600, 6/180), cobrindo os valores de acuidade visual da maioria das pessoas com problemas de visão. Os níveis de contraste das linhas de teste nas cinco páginas são 25%, 10%, 5%, 2,5% e 1,2%.

O mesmo diagrama que é usado quando se usam as escalas de acuidade visual com baixo contraste, pode ser utilizado para registar os resultados quando se utilizam testes com um símbolo ou um número. O número de respostas correctas é lido no eixo vertical e a cruz é colocada correspondendo à distância usada (a distância é mostrada no bordo superior do gráfico de registo, na escala de cima).

A variação da luminância afecta os valores limiares, em muitas doenças, e mesmo em indivíduos com visão normal. É difícil arranjar uma luminância suficientemente alta numa sala normal, excepto dirigindo o fonte luminosa para o teste. Assim a quantidade de luz que cai sobre o teste está dependente da distância entre o teste e a fonte de luz. Para medições fiáveis o teste deve estar a uma distância fixa da fonte luminosa. Em estudos de campo a variação dos resultados causada pela variação na iluminação deve ser tida em consideração.


#251100-251200

A superfície dos testes de baixo contraste estraga-se facilmente. Evite tocar a superficie branca. Se a pessoa necessitar apontar o optotipo com o dedo deve usar uma gaze ou uma luva branca para o cobrir.

  • Se a pessoa não viu o teste de contraste antes, explique que está a usar um teste de baixo contraste, com os mesmos quatro símbolos/números que se usaram com alto contraste (“os mesmos desenhos/números para os quais acabamos de olhar e que usou os nomes de.../emparelhou com a carta chave)

  • Comece, utilizando a distância de 3 metros se esperar um funcionamento visual perto do normal.

  • Pergunte qual é o primeiro número/desenho da linha. Se a criança/ pessoa vê o primeiro número/desenho correctamente com facilidade, passe para a página seguinte. Continue até que haja um erro.

  • Se a criança/pessoa responde erradamente, pergunte qual é o número/ símbolo seguinte e vá até ao fim da linha. Se forem vistos 3 dos 5 números/símbolos e forem vistos menos que 3 na linha seguinte, marque o resultado como a soma de todos os optotipos na linha prévia + 3 da última linha lida.

  • Para tornar mais fácil saber quantos optotipos existem nas linhas há um pequeno número, no canto inferior esquerdo de cada página, mostrando a soma dos optotipos das páginas anteriores e o nível de contraste está marcado no canto inferior direito.

  • Quando chega a uma nova página a criança/pessoa pode dizer “ não há nada nessa página”. É difícil focar os optotipos perto dos valores limiares. Assim diga para se olhar para os optotipos da página anterior e para não mexer os olhos quando a página for virada. Muitas vezes a criança/pesssoa consegue ver a linha toda que não conseguiu perceber quando a imagem não estava bem focada na retina.

  • Para medições com optotipos maiores, aproxime-se. Se a primeira medição foi a 3 metros e 3 números/símbolos foram observados correctamente, a 2.5% de contraste, regista-se um total de 18 respostas correctas, tal como no caso exposto no diagrama. Depois aproxime-se, neste caso para 1.6metros, e meça até ao limite, 3 correctas a 1,2% de contraste = a um total de 23 respostas correctas.

  • Os resultados são marcados no formulário de registo como o cruzamento das linhas que marcam a distância utilizada para o teste e o número de optotipos observados correctamente.

O resultado da medição é apontado como o número de respostas correctas. Apesar de apenas um optotipo ter sido testado em cada linha, cada linha acima do limite é creditada com 5 respostas correctas.

Assim, se uma pessoa lê 3 dos símbolos/números LEA 10M correctamente na página 5 a uma distância de 1,6 metros, o resultado escreve-se: Lea-S, 10M:23 a 1.6m.

O resultado pode ser marcado no diagrama, localizando a distância de teste na margem superior no formulário de registo (escala superior) e marcando os resultados (neste caso 18 e 23), no ponto onde a linha da distância de teste (3 e 1.6m) e a linha do número de respostas correctas se cruzam. Estes pontos são assinalados com um S no diagrama. No diagrama, é fácil calcular que o resultado também pode ser escrito 0.16 (-2) a 1.2% de contraste (0.16=20/125 ou 6/38).


O número de respostas correctas é lido no eixo vertical esquerdo e a cruz é colocada no ponto correspondente à distância utilizada durante o teste. Neste caso, o resultado seria 18 respostas correctas a 3m (marcado como M) e 23 correctas a 1.6m (marcado como S). A linha S-M-X traduz o declive da sensibilidade ao contraste.

Depois de utilizar o teste durante um tempo, deixará de precisar do formulário de registo, excepto para reportar os resultados a alguém que não esteja acostumado a utilizá-lo. Terá uma imagem mental sobre a localização do limiar no formulário. Registe o nome do teste, o número de respostas correctas e a distância utilizada para a medição. Estes três números contêm toda a informação necessária para o seguimento.

Quando se fazem medições com optotipos e barras, é interessante marcá-las no formulário de registo para ver a relação entre os diferentes valores limite. A luminância dos testes tem que ser muito semelhante, caso contrário os resultados não são comparáveis.

Este formulário de registo da sensibilidade ao contraste pode ser utilizado para registar quaisquer resultados de testes de sensibilidade. A comparação dos resultados de diferentes testes é fácil, quando são registados neste formulário. Combinando os resultados dos testes de optotipos e testes de barras, pode-se avaliar a qualidade do campo de visão central para a baixa visão ou avaliação ocupacional.

PreviousIndexNext

[ Testes de Visão I Instruções ]